Controle de estoque e produção deverá ser enviado por meio digital ao Sped Fiscal

Como parte do projeto de informatização da relação entre o fisco e os contribuintes, agora as informações dos livros contábeis e fiscais tradicionais de estabelecimentos industriais e atacadistas também deverão ser transformadas em arquivos digitais, a partir de janeiro de 2015, para envio ao Sped Fiscal. A obrigatoriedade da digitalização do documento começará pelas grandes indústrias, seguidas das médias e pequenas.

Entre esses arquivos, está o chamado Bloco K, que contém informações sobre qualquer movimentação de estoque incluindo as perdas no processo, quebras por transporte, compras, vendas, entre outros. Atualmente, o Livro de Controle de Produção e Estoques é atualizado manualmente com dados das fichas técnicas dos produtos e outras informações, num formato que muitas vezes deixava até o fisco pouco à vontade no exame desse livro, como afirma Osvaldo Rodrigues da Cruz, conselheiro do CFC.

Com a eliminação do livro em papel, espera-se a redução da emissão de notas fiscais com informações corretas, notas fiscais subfaturadas, “frias” ou espelhadas, notas calçadas e as meia-notas, além da expectativa de combater a manipulação de estoques. Com o formato digital, o fisco também poderá cruzar os valores dos saldos apurados eletronicamente e os informados pelas indústrias.

Além disso, a informatização do processo vai exigir ainda que as empresas se organizem melhor para ter maior controle em relação aos registros eletrônicos de produção e estoque. Sugere-se, pois, a readequação e requalificação dos departamentos responsáveis, a fim de se melhorar o processamento de informações. Dessa forma, os riscos de falhas e inconsistências nos dados informados também serão amenizados.

Fonte: Conselho Federal de Contabilidade


« Voltar