Bloco K da EFD

A partir de janeiro de 2015, os estabelecimentos industriais ou a eles equiparados pela legislação federal deverão informar seus estoques e produção no SPED Fiscal. É o chamado bloco K da Escrituração Fiscal Digital, que trata da produção e dos estoques. Os estabelecimentos informarão também o consumo específico padronizado, perdas normais do processo produtivo e substituição de insumos para todos os produtos fabricados por eles mesmos ou por terceiros. Para os demais contribuintes, a obrigação começa a valer em janeiro de 2016.

O bloco K é a digitalização do Livro de Controle de Produção e Estoques. Apesar de obrigatório, ele não era escriturado por muitas empresas, já que era difícil de manter atualizado.

Agora, os estabelecimentos devem acrescentar mais dados ao fazer a entrega das obrigações fiscais em arquivos digitais. Com a inclusão do bloco K no SPED Fiscal, a Receita ficará por dentro de todos os detalhes do processo produtivo e da movimentação de estoques de uma empresa.

Assim, para garantir uma correta escrituração, cada estabelecimento deverá informar ao profissional contábil dados coerentes e atualizados, exigindo uma boa estruturação por ambos os lados. Os registros do bloco K devem conter os dados das fichas técnicas dos produtos, perdas do processo produtivo, ordens de produção, insumos e quantidade de produção.  Se as informações não forem devidamente mensuradas pela empresa, as inconsistências poderão gerar procedimentos de fiscalização.

Todos os novos aspectos do SPED Fiscal poderão levar a uma mudança estrutural nos estabelecimentos. Além de contar com profissionais de contabilidade, todos os departamentos devem estar integrados para o melhor processamento das informações. Ao integrar uma equipe qualificada, a empresa diminui os riscos de inconsistências nos dados prestados.

 


« Voltar